Se eu não acreditar, funciona?

Autor: Rita Patussi

Terapeuta Holística

Tenho ouvido essa pergunta com muita frequência, e isso sempre causa estranhamento. Sou terapeuta holística há muitos anos, por meio de Reiki, Cura Quântica, Terapia Floral e, mais recentemente, Aromacologia, e atuo com o propósito de contribuir para o equilíbrio e a harmonia que nos fazem ser consideradas pessoas saudáveis. 
Neste tempo, chegaram até a mim pessoas das mais diferentes culturas, idades, classes sociais, crenças religiosas e filosóficas, enfim, uma boa representação da variedade de seres que andam por este planetinha abençoado. O motivo dessas buscas é tão variado quanto possível, acerca de males que fragilizam o corpo, a alma e o espírito. Sejam questões pontuais, crônicas e por vezes terminais, sejam questões psicoemocionais e espirituais, como reflexos possíveis da época conturbada que vivemos e que, com facilidade, tiram o equilíbrio e a harmonia necessários para estarmos saudáveis.
Alguns chegam indicados por profissionais da saúde, outros vêm por iniciativa própria. Muitos confiam nas terapias integrativas e buscam nela um complemento; já para outros é praticamente uma alternativa depois de várias tentativas frustradas. E é geralmente neste último grupo que os desconfiados estão. Ah! Esqueci dos curiosos ou daqueles que querem provar que realmente as terapias integrativas não funcionam.
Quando falamos, por exemplo, de Terapia Floral e Aromacologia, estamos tratando de produtos originários da natureza, de vegetais cujos princípios ativos inspiraram e inspiram a farmacologia dita alopática; princípios ativos que estão gerando disputas de patentes, propriedades e royalties. Só isso pode indicar sua valia, contudo, deixemos os aspectos financeiros e vamos aos princípios ativos. 
O reino vegetal tem sido utilizado há milênios para a saúde do corpo e da alma, inclusive no embalsamamento de mortos em muitas culturas. A tradição milenar do uso do mundo vegetal vem sendo analisada sob a luz da ciência e da tecnologia, esta última uma aliada de grande valor, com instrumentos de análise de imagem que podem chegar à menor partícula de cada espécie e/ou demonstrar as reações do corpo ao meio onde está inserido (Epigenética), muitas vezes revelando informações que confirmam a eficácia dos princípios ativos das plantas. 
Na minha observação, acompanhando o desenvolvimento dos tratamentos, percebo indicativos de por que funcionam, independente das crenças da pessoa, quando ela:
É comprometida com sua melhora e segue as orientações;
Revisita suas crenças de vida, entende que autoconhecimento, flexibilidade e compaixão contribuem para resiliência;
Percebe que, se não pode mudar uma situação adversa, pode mudar seu posicionamento frente à mesma;
Está disposta a mudar hábitos alimentares, pratica exercícios e cuida do padrão de pensamentos, não se deixando contaminar pelo ambiente;
Cria um tempo de lazer e realiza atividades prazerosas;
Busca uma prática espiritual e/ou meditativa.
Mas, confesso, tenho imenso prazer quando ouço alguém com rinite crônica dizendo: “Parece estranho, mas não é que funcionou?”. Ou então: “Não, não notei nada de diferente. Ah! O médico reduziu a dose do remédio para dormir”.
Parafraseando Einstein, se a desarmonia foi criada por um modo de viver e pensar, talvez um novo modo de viver possa nos trazer o equilíbrio desejado, ou, para alguns, a saúde e o bem-estar desejados.
Enfim, creio que os milagres são compostos de parceria e comprometimento. Eu acredito na Terapia Floral e na Aromacologia. Agora só falta você.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *