Inimigo Íntimo

Autor: Josiane Medeiros

Criadora do Blog Inspirações da Musa

Ele sabe exatamente quais são seus pontos fracos

Hoje é um dia inspirador para mim. “Porque aconteceram coisas incríveis”, você deve estar pensando. Não mesmo, hoje foi um dia de horror, daqueles que você pensa: “O que cargas d’água eu estou fazendo aqui mesmo?”.

Acordei não lá muito bem, discussão com o namorado, não queria fazer nada, falar com ninguém, problema atrás de problema. Chamei Deus (e aqui não importa em qual Deus você acredita ou se não acredita também, está tudo certo, somente para contextualizar você), porque estava me sentindo extremamente desmotivada, inútil, e pensei alto, não economizei palavras neste sentido, fui bastante dura comigo mesma: “Não posso ter vindo aqui para nada e somente ser um peso para as pessoas. Todos nós temos, um pouco que seja, a contribuir, me ajude a encontrar o que eu posso oferecer aos outros neste momento”. Chorei, respirei fundo, tomei uma água e comecei a mexer no celular, aquele vício que fazemos no automático sem nem muito pensar. Porém, ele me trouxe uma grata surpresa naquele momento. Era uma pessoa que eu sigo no Instagram comentando sobre um vídeo – um minicurso ministrado pela filósofa (Lúcia Helena Galvão) sobre o livro A guerra da arte de Steven Pressfield (o vídeo está no final do texto).

E é por esse motivo que vos escrevo neste instante. O livro fala centralmente sobre a resistência – que é o nosso inimigo íntimo –, que se disfarça de todas as desculpas possíveis para que a gente trave e não vá deste nível para o próximo, ou seja, não se desenvolva, não evolua, não avance. Por ser algo tão intangível, poxa, está dentro de nós mesmos, e por nos conhecer tão bem – principalmente nossas preferências e fraquezas –, ela sabe exatamente onde agir. Não é aterrorizante?

Eu percebi ali, naquele momento, que a resistência estava me paralisando em diversos momentos. Meu inimigo número um declarado, impedindo de todas as formas possíveis e impossíveis que eu crescesse. Uma das frases mais marcantes para mim – daquele vídeo de quase 2h30, mas que pareceram poucos minutos – foi: Aquilo que ela – resistência – mais impede você de fazer deve ser a melhor coisa que você tem para fazer nesta vida”. Leia de novo, quantas vezes forem necessárias, para que você compreenda de fato essa fala.

Ela lhe rouba aquilo que vai alimentar a alma, aquilo que vai fazer você se sentir vivo, vibrante, aquilo que faz você brilhar, que faz você entrar em estado de flow¹. E quando, depois de terminado, lhe perguntarem: “Como você fez isso?”, você muitas vezes não sabe, é inspiração que vem de cima, é luz, e você é somente instrumento. É aquilo que só você veio acrescentar nessa colcha enorme de retalhos que somos, e não existe no mundo outro modelo igual a este. VOCÊ É ÚNICO! Em sonhos, vontades, desejos, criatividade, habilidades, modos de ver e fazer as coisas. Existem pessoas que pensam e fazem parecido com você? Lógico que sim, mas a forma como você faz, os detalhes que somente você vê e as experiências que trouxeram você até aqui, até o momento de ligar os pontos, são singulares. Não despreze isso!

Você pode pensar que foi o acaso, que logo no dia que chamei o “meu” Deus, me cai no colo um vídeo que era exatamente o que eu precisava ouvir. Eu não acredito em coincidências, tudo tem um porquê, você está onde o universo quer que você esteja, e esse vídeo só teve a importância que teve, para mim, naquele momento, porque me permiti sentir, chorar, mas não imobilizar. Segui em movimento, mesmo que somente vendo algo eu me permiti colocar em movimento… de pensar. Ter algo maior, em que você acredite, lhe traz forças quando às vezes parece que não temos mais disposição de lutar. Conecte-se a esse algo superior para se sentir com ânimo de ir em frente mais uma vez.

Como eu posso lidar com essa resistência hoje? O que ela está me roubando e, pior, com minha permissão? Onde está esse meu medo que me impede de fazer o melhor que eu posso? Isso é movimento, é bater de frente com ela e dizer: “Olha, você pode ter me paralisado até aqui, com meu consentimento, mas agora você não tem mais ele e vamos brigar de igual para igual todos os dias. Porque, se você quer tirar o que eu tenho de melhor para oferecer ao mundo, eu tenho sangue nos olhos para mostrar a você que não vou me entregar tão fácil assim”. É uma batalha diária, e do outro lado não há descanso, então, se nutra, se fortaleza, para não descansar também.

Mostre quem é que manda, pois o seu maior inimigo é você mesmo, o seu ego querendo enganar você todo o tempo, dizendo que você não consegue, que não é capaz, que já existem vários iguais fazendo isso. O ego, outro nome para a resistência a meu ver, sabe cada uma das suas fragilidades e pode ter certeza que utilizará todas e cada uma delas para que você pare, desista, desanime e deixe para amanhã. Nessa ideia ele já ganhou na batalha de hoje, e quanto mais tempo você posterga, mais ele se fortalece, e você, adivinha? Desanima e pensa: “De repente, não era para mim mesmo”. REAJA! Se o medo está lá, vai com medo mesmo, há grandes chances de que tudo que você almeja aí dentro possa estar do outro lado escuro que você não consegue enxergar agora.

Faça o que pode com o que tem nesse momento, não se cobre em demasia, persista com constância e busque, se ainda não sabe, o que lhe nutre a alma. Não por recompensas, por vaidade, por esperar reconhecimento. Pelos motivos certos e com permanência os resultados vêm. Não tenho claramente, no momento em que escrevo este texto, o que eu vim fazer, no que eu posso realmente ser útil para o mundo e qual a palavra que eu vim deixar, mas eu decidi que era necessário começar. Ninguém pode trilhar o meu caminho por mim, e nem posso viver o sonho dos outros.

Decidi declarar guerra à resistência e amor total à Josiane, e é com ela, e por ela, que vou entrar nessa batalha, todos os dias, e tentar ao máximo sair vencedora na maior parte dos dias. Escolha a guerra que você vai entrar, essa me parece uma das mais importantes da sua vida! Não se cale e nem esmoreça por uma vozinha aí dentro que diz que você nunca foi capaz de grandes conquistas. Que isso impulsione você, lhe encha de avidez para mostrar que ela nunca esteve tão errada. E que você possa sorrir com tranquilidade no final do dia, provando a ela, e a si mesmo, o quanto você pode mais.

Se você se encontra em momento parecido, faça um favor a si mesmo e dê uma olhada nesse vídeo, ele vale cada segundo. Fez sentido para você.

Confira outros artigos da mesma autora, visitando o blog: https://inspiracoesdamusa.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *