Vamos Dançar?

Vamos Dançar?

Autor: Cristina Schonwald de Oliveira

Gestora de Assuntos para Terceira Idade 

                Nossa existência é pontuada por alegrias e tristezas, ganhos e perdas, vitórias e derrotas. No ciclo da vida em que caminhamos em direção à Terceira Idade, embora o efeito do tempo se faça presente, acrescentamos o crescimento interior e espiritual que contribui para o processo de um envelhecimento bem-sucedido.

                Dentre os indicadores da qualidade de vida na velhice está o fator atividade física, e a dança faz parte se apresentando como um dos exercícios com avaliação de abrangência multidimensional. Então, vamos aproveitar e dançar?

                Estudos sobre a dança, que foram realizados em universidades da Inglaterra e Canadá, com grupos de idosos, uns formados por pessoas com idade de 65 a 74 anos e outros grupos com idades diferentes, comprovaram os ganhos enormes para a saúde que esta atividade proporciona. Os benefícios terapêuticos e sociais comprovadamente retardam o processo de envelhecimento, possibilitando saúde integral. Para dançar, não existem limitações físicas, e atualmente encontramos grupos de cadeirantes ou com outros impedimentos se beneficiando física e socialmente da dança.

                Além de ser um exercício saudável, proporciona relações sociais que melhoram nosso humor, afastam a tristeza, a solidão e a depressão. Fortalecendo nossos músculos, o movimento de todo o nosso corpo gera mais força e equilíbrio, assim reduzindo o risco de quedas e até mesmo a osteoporose. Além disso, ativa a circulação sanguínea e por consequência gera saúde para o coração e o pulmão como também boa qualidade do sono.

                Muitos benefícios podemos receber de uma atividade física divertida e que comprovadamente melhora também a nossa memória. Precisamos lembrar de que, antes de iniciar uma atividade física, devemos buscar orientação médica, de sempre manter a hidratação e procurar locais sociais adequados de acordo com nossa idade e nossa realidade, que pode ser uma sala comunitária, escola de dança ou grupos de convivência.

                Quando você estiver dançando e sentindo as vibrações da música, aproveite esse momento positivo e deixe seu espírito voar e girar nas asas do vento, compartilhando e espalhando à sua volta um pouco desse bem-estar, da luz e do amor que fazem parte da sua verdadeira essência. E, como diz o Cacique Amarapuá na sua mensagem:

“O espírito é livre, sejam livres vocês também e, assim como a águia, adquiram a sabedoria do tempo, a coragem dos fortes guerreiros, e não haverá ventos ou tempestades que vos parem ou que vos amedrontem.”