Rumo a Terceira Idade

Rumo a Terceira Idade

Autor: Cristina Schonwald de Oliveira

Gestora de Assuntos para Terceira Idade

 

O que define a Terceira Idade? De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), Terceira Idade é a fase da vida que começa aos 60 anos nos países em desenvolvimento e aos 65 anos nos países desenvolvidos. Segundo o dicionário Houaiss, “longevidade” significa: característica ou qualidade de longevo; duração da vida mais longa que o comum, bem como “envelhecimento” é definido como ato ou efeito de envelhecer; ato ou efeito de tornar-se velho, mais velho, ou de aparentar velhice ou antiguidade.

Com base nessas definições, o título deste artigo poderia ser: “Caminhando para a velhice”, ou, como algumas mídias e grupos se referem: a Melhor Idade, Maturidade e também Feliz Idade. Há também quem discuta qual a faixa etária de quem entra na Terceira Idade, se é aos 60, 65 ou 70 anos. Em alguns países o vínculo é feito com a aposentadoria, e até mesmo com uma quarta idade.

A realidade é que, à medida que avançamos em idade, vamos naturalmente envelhecendo. Assim, o termo Terceira Idade, em nossas colocações, será usado para acolher, de forma global, os diferentes pontos de vista.           

Envolvidos nas nossas atividades diárias, sejam quais forem, esquecemos que o tempo vai passando para todos. Assim como, muitas vezes, não entendemos as limitações, as dificuldades e a lentidão dos que já estão com idade mais avançada, também não entendemos e não queremos observar o que está acontecendo com nosso próprio corpo e com nossa mente. Deixamos de nos cuidar, de nos observar e de nos respeitar por estarmos envolvidos na maior parte do tempo em atividades na internet, nas redes sociais, na televisão, absorvendo um imenso número de informações que nos conduzem a um viver ilusório.

                A memória começa a falhar, o corpo fica cansado, e o emocional, sobrecarregado pela falta de cuidados adequados, tais como uma atividade física e alimentação saudável. Então, somos apresentados às chamadas doenças da atualidade, como, por exemplo, o estresse, o déficit de atenção, a depressão, dores no corpo, entre outras. Diante disso, como podemos querer cobrar de nossos idosos atitudes proativas em relação a sua saúde e até a sua vida social, se nós mesmos não agimos e nem vivemos com consciência e responsabilidade pessoal?

                Nesse momento, vale parar um pouco e repensar nossa vida. Refletir como estamos agindo, o que realmente é importante e saudável para nós. Refletir como estamos tratando nossos idosos e o que estamos cobrando deles, como estão nossa consideração e nossa paciência para com as suas limitações naturais da idade. Analisar como estamos vivendo hoje. A partir disso, então, refletir como queremos ou pensamos viver nossa velhice.

                Existe uma lei básica da vida que nos mostra que tudo o que se planta hoje vai refletir no futuro. Hoje, podemos buscar uma vida mais consciente, mais saudável, podemos mudar nossa trajetória para alcançar um futuro melhor e mais positivo. Podemos buscar um caminho de equilíbrio, de saúde física, mental e espiritual. Somente nós somos responsáveis pela nossa vida e o rumo que estamos dando a ela.

                Para reflexão, deixo duas frases de Chico Xavier:

“Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela corre por nossa conta.”

“Você não pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas você pode começar agora e fazer um novo fim.”